SÉRIE LONDRES: Tower Bridge e os seus relacionamentos

Você tem construído pontes ou muros entre as pessoas? Você tem se conectado a outras vidas? Ou criado uma barreira?

Ponte Inglaterra

A mais prestigiada e famosa ponte da Inglaterra, a Tower Bridge, foi cenário de destaque em grandes produções cinematográficas: Sherlock Holmes, O Diário de Bridget Jones, 007: O Mundo não é o Bastante, O Retorno da Múmia, entre outros.

Inaugurada em 1894, a construção é um deleite para os olhos, com seus detalhes arquitetônicos que efetivamente colocam-na como a rainha de todas as pontes, construída sobre o movimentado Rio Tâmisa, na glamurosa cidade de Londres.

O que essa ponte pode ensinar sobre os relacionamentos? Pense por alguns instantes: você tem construído pontes ou muros entre as pessoas? Você tem se conectado a outras vidas? Ou criado uma barreira? Não significa apenas criar pontes, e/ou novos relacionamentos, mas também se questionar sobre qual o tipo de ponte você tem construído.

De madeira? Com apenas duas cordas em que você tem que ir se equilibrando e segurando firme para não cair? Ou de pedra e aço? Essa ponte é decorada? É digna da realeza?

Às vezes pode se levar bastante tempo para construir uma ponte ou um relacionamento – no caso da Tower Bridge, foram cerca de 8 anos. Você é uma pessoa que facilita a construção de relacionamentos? Quando bem construída, uma ponte pode durar uma vida toda. A Tower Bridge já tem mais de 120 anos.

A construção da ponte é o primeiro passo. Depois vem o tráfego, ou seja, a utilização da ponte. Na Tower Bridge circulam por dia cerca de 40.000 veículos; qual é a movimentação que existe na sua ponte em nível de relacionamento? Trafegam emoções positivas ou negativas?

A ponte leva você de um ponto para outro, ou ainda, conecta extremidades, vidas? Um ponto interessante está no fato de a Tower Bridge ser uma ponte basculante, que se eleva para passagem de barcos, levantando e abaixando em média 1000 vezes por ano. Analise seus relacionamentos: metaforicamente eles são uma ponte basculante? Isto é, permitem se levantar para deixar a mágoa passar e voltam a se conectar?

Imagine nos relacionamentos familiares: será que é recomendado ter uma ponte basculante para simplesmente deixar passar e retomar de forma sincera e sólida os relacionamentos? Há quem, infelizmente, deixe as pontes enferrujar e até ruir. Para tudo é necessário manutenção. De fato, dá muito mais trabalho reconstruir uma ponte do que torná-la basculante. Uma ponte pode ser reconstruída, um relacionamento também. Porém, se você for sábio, pode construir pontes basculantes.

Você deve ser sábio para decidir com quem você deseja construir pontes. Pois, uma vez construída, a tendência é que haja tráfego, troca. Procure construir pontes de duas mãos, onde possa dar e receber. Algumas pontes podem apenas permitir saída e outras só permitem entradas. Sua vida é como uma cidade, com sua complexidade, comércio, ruas, casas, energia, áreas de lazer, saneamento básico, hospitais.

Cuidado para não tornar a sua vida, sua cidade, apenas visitada para utilizar o hospital. Cidades prósperas são aquelas onde há intercâmbio.

Se você fosse uma cidade, qual seria? E quais pontes desejaria criar, de que tipo?

O que te impede de construir uma ponte comigo? Estou à disposição e quero fornecer recursos para que a sua cidade seja mais produtiva e feliz, com conhecimento, desenvolvimento e muito, muito mais.

Texto originalmente publicado em: Sociedade Pública

0 comentários:

Postar um comentário